quarta-feira, 29 de outubro de 2014

Querido diário...

É engraçado iniciar esta postagem com esta expressão mas tenho de admitir que já o fiz imensas vezes, pelo menos quando comecei a escrever o meu diário, sim podem rir, mas sempre tive vontade de escrever sobre o que ia acontecendo na minha vida, primariamente ao longo da adolescência para desabafar, descarregar as frustrações e reflectir sobre as novidades próprias da idade e, mais tarde, apenas para registar bocadinhos da minha vida. Para mim, é mesmo relevante registar esses bocadinhos. Sabem, embora pareça que nos vamos lembrar sempre de tudo na nossa vida, quando releio partes do diário, vejo que muita coisa já foi, já não me lembro, pequenos momentos engraçados e doces que, sem registo, provavelmente se perderiam na gaveta das memórias :)

Agora, com o blog, embora não deixe de ter o diário num caderno simples de capa preta, é como fazer uma atualização para o século XXI, acompanhar o progresso como diriam alguns, é fazer um registo de um modo se calhar mais rápido e, claramente, menos secreto mas acredito que as pessoas que lêem o que escrevo se possam identificar com o que tenho para contar. Ele já tem muito tempo e nem deveria se chamar diário, uma vez que só escrevo de tempos a tempos. Deixo-vos aqui um trecho do meu verdadeiro diário:

"24 de março de 2012,
Praticamente um ano se passou desde que escrevi aqui as minhas memórias. Já não sabia onde andava este diário mas hoje numa das arrumações o descobri. Senti logo vontade de escrever. Assim, hoje, 23:31, estou na cama ao lado do meu amor que está no computador a trabalhar. De hoje para amanhã muda a hora e não devo me alongar muito, se não amanhã pareço uma zombie :) Muita coisa mudou ao longo deste ano..."



Deve ser por ainda ser principiante nesta vida de mãe de dois pimpolhos, mas neste momento está a ser difícil dar conta das lides domésticas, sim, passar a ferro, arrumar a casa (que é desarrumada a cada cinco minutos) e limpar está a ser complicado, o que me desanima bastante porque sempre fui extremamente organizada. Sei que muitas mães devem sentir o mesmo e nesta última semana andei a perguntar a algumas mães como conseguem, o que fazem para manter a vidinha de casa organizada e o que algumas me responderam é que deixam a casa mesmo assim feita num oito, outras que colocaram empregadas domésticas. Para mim, esta última até seria uma grande ajuda, no entanto neste momento não é possível financeiramente dar-se a esse luxo. Então vou fazendo tudo aos pouquinhos, pois estar e brincar com eles é realmente uma prioridade. Desde que nasceram, as pessoas dizem para aproveitar porque eles crescem muito rápido e é bem verdade.

No âmbito das prioridades, como podem imaginar, escrever no blog ocupa, sei lá, a décima posição. Embora os mais convencionais possam pensar que isso nem deveria ser tratado com uma prioridade, ainda que de importância reduzida, para mim, que sempre gostei de escrever, é como que uma terapia, um desabafo, um momento de calma só meu.

comentário(s) pelo facebook:

Sem comentários:

Enviar um comentário

Deixe a sua opinião! Obrigada :)