domingo, 28 de setembro de 2014

Uma mamã natural

Chegou o momento de me apresentar! Não sei bem como o fazer, o que transmitir de mim ao mundo, mas aqui vai. Chamo-me Débora, tenho 26 anos, quase 27 (como o tempo passa!) sou mulher, esposa de um homem extraordinário que me completa todos os dias e mãe de duas crianças maravilhosas, uns filhos perfeitos que me fazem querer mudar o mundo e ser uma mãe perfeita, simplesmente porque eles merecem o melhor de mim.

Costumo então definir-me como um "Mamã Natural", um nome que, primeiramente, deriva da nossa opção, enquanto casal, de me tornar mãe a tempo inteiro, não apenas dos nossos filhos, mas do nosso núcleo familiar. Defendemos que uma mãe é um elo de ligação, um pilar que cuida, protege, acarinha, alimenta, conforta e ama. Para mim, esse amor não se estende apenas às minhas crias, mas a toda a família de quem cuido com muito carinho. Ser mãe é, de facto, um dos maiores privilégios que a natureza nos oferece, abrange muitas facetas, muitas profissões numa só, faz-nos ultrapassar barreiras, por vezes, testar limites, é um "trabalho" árduo cuja maior recompensa pode ser um sorriso, um olhar, um carinho devolvido numas mãos sujas de lama ou um beijo peganhento com cheiro a fruta doce :).

No que diz respeito à segunda parte do nome, "Natural", tem a ver com a nossa proximidade à natureza, com a nossa consciência ecológica, com a idealização de uma vida simples isenta de consumismo e de alimentos processados, sem correrias, sem pressas, com muito apego e amor, ao ritmo da natureza.

A nível profissional, sou educadora de infância e professora do 1.º Ciclo mas nunca exerci, pois antes de terminar o curso já queria uma vida diferente daquela que a sociedade preconiza hoje em dia, eu e o meu marido já havíamos delineado uma rota diferente do comum para nós. 

Quanto ao marido, professor de física e química numa escola do meio rural onde vivemos, é um homem da ciência, adora testar, experimentar, descobrir. É um homem lindo, um "Papá Natural" que considera que a vida é sempre melhor debaixo de uma árvore e que trabalhar com as mãos e pés na terra húmida é a melhor sensação do mundo!

Os nossos filhos são ainda muito pequenos, não compreendem ainda o nosso modo de vida. O que queremos para eles? Felicidade, liberdade, amor, o que para já se refere simplesmente a deixar crescer, ser criança, brincar, conhecer o mundo com os pés descalços. 

comentário(s) pelo facebook:

2 comentários:

  1. Que bela apresentação! :)
    Prazer em "conhecer" e muita força nessa vossa determinação e pela visão do que me parece ser o "melhor" caminho!

    ***rita

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Obrigada, ainda estamos trilhar parte deste caminho que queremos seguir e ainda desconhecemos. Ás vezes é difícil mas damos um passinho cada vez :)

      Eliminar

Deixe a sua opinião! Obrigada :)