quarta-feira, 21 de janeiro de 2015

Ser mãe a tempo inteiro #2 - O problema sou eu

Aviso: esta postagem está confusa, reflete o meu estado de alma. Ah, se calhar é por isso...

Não me interessa quanto digam que estou a mimar os meus filhos, que não os deixo com ninguém e tal. A verdade é que não são eles que são mimados, nada disso, o problema sou eu, eu é que sou egoísta mesmo e tenho um problema: estou viciada neles. Adoro estar com eles e, apesar do trabalho que dá, a verdade é que os levo comigo para todo o lado.

Tudo o que faço, tirando uma escapadinha ou outra com o papá, ando sempre com eles atrás. Até escrever o blog se torna uma aventura, agora, por exemplo, estou a escrever no telemóvel porque tive que sair de casa e vou ter que fazer uma pausa para dar de mamar. Esqueçam a pausa, coloquei o miúdo à mama e vou continuar a escrever assim mesmo.

Voltando ao assunto inicial, a culpa é minha mesmo e ainda hoje falei com uma amiga sobre esse assunto, antigamente como faziam as mães com 9, 10 ou até mais filhos? Não conseguiam dar muita atenção a cada um de certeza, será que eu estou a querer dar demasiada? Não acho que o problema sejam eles (entretanto já parei duas vezes de escrever, uma para mudar de mama e outra para atender o telemóvel), eles não exigem demasiado de mim, eu é que às vezes sinto vontade de fazer outras coisas, coisas só minhas como por exemplo escrever um livro ou fazer jantares para 40 pessoas.

Não sei como as outras mães conseguem nem sei qual o meu caminho mas sei que (ok, recebi outro telefonema), enquanto puder quero ser eu a estar ali, a olhar por eles e tê-los sempre bem juntinho a mim.
Estão a ver porque demoro a escrever mensagens para colocar no blog, sou interrompida por milhentas coisas que muitas vezes nada têm a ver com eles e ainda dizem que os bebés são exigentes. Estaria tudo perfeito se eu não quisesse fazer mais nada e passasse todo o dia a dedicar-lhes atenção. O problema não são eles porque eles estão a fazer o que é suposto, o problema sou eu que quero fazer outras coisas, o problema é o dia ter apenas 24 horas, o problema é eu ter de dormir (sim, porque muitas vezes venho para o computador quando eles já estão a dormir e no outro dia de manhã pareço uma zombie). Se eu não tivesse de dormir teria tempo para tudo, ou se calhar ainda não, se calhar ainda queria um dia com mais horas só para ter mais tempo para fazer tudo mais devagar, mas sempre na companhia deles.




comentário(s) pelo facebook:

2 comentários:

  1. O importante é manter a calma, o tempo pode parecer pouco mas há sempre tempo para tudo :).
    Não sou mãe, não sei o que é querer estar com os filhos o tempo todo mas acho que não há problema em dar-lhes uma folguinha :)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Sim, não há problema em dar-lhes uma folguinha da mãe, às vezes é preciso mas confesso, não sei muito bem ainda regular isso. Gosto mesmo de estar com eles e o certo é que temos de lidar com as consequências das nossas escolhas e a minha foi ficar com eles. Não me importo da parte cansativa, dedico-me com gosto, é mesmo mais o facto de querer fazer mais, de adorar escrever e não conseguir, de cozinhar, de fazer coisas para mim, de dar mais atenção ao blog, por exemplo. Mas ainda é cedo, eles ainda são muito pequeninos (o mais pequeno ainda não tem 5 meses) e nós havemos de encontrar uma rotina que se adeqúe a todos. Obrigada pelo comentário :) Gostei muito!

      Eliminar

Deixe a sua opinião! Obrigada :)