segunda-feira, 12 de outubro de 2015

Tempero, o segredo… da comida e da vida

Hoje quero apresentar-vos um amigo meu. Chama-se Tempero, é fiel, para todas as ocasiões e acompanha-me diariamente, tanto à refeição como na vida. O meu amigo não é esquisito, não é dessas coisas. Adora conviver com peixe e com legumes embora as más línguas possam dar a entender que ele só se dá com a carne. Na verdade, ele é o típico bon vivant, dá-se com toda a gente e gosta de se juntar às coisas boas da vida. Raramente atrapalha, não obstante, há que admitir que é um bocado convencido. Basicamente, ele considera que deveria estar presente em todas as ocasiões, sente que os outros sem ele por perto não têm o mesmo brilho, mas fazer o quê? Ele a modos que tem razão. Basta chegar o Tempero que as coisas ficam logo melhores, a vida ganha outro sabor. Tento inclui-lo com frequência, principalmente nas pequenas partes da minha vida, aqueles pequenos bocados do dia a dia que ficam por aí espalhados sem importância, mas que sem os quais a minha história perderia todo o sentido.
Quando vou a um restaurante e me esqueço de convidar o Tempero (sim, porque já o levei uma vez ou outra à socapa) é, por si só menos gostoso e um pouco mais confuso. Pergunto pelo menu, respondem-me algo como atum ou frango. Mas… fico a pensar, e o resto? Pergunto e ficam a olhar para mim como se eu tivesse algum problema de compreensão. Porque não me perguntam se quero uns legumes salteados num pouco de azeite com algas e massajados com uma maionese caseira? Reparem, as pessoas preparam carne com marinadas cheias disto e daquilo, e os vegetais cozem-nos em água e sal. Faço-vos um desafio, cozam carne ou peixe numa panela com apenas água e sal e verifiquem se é tão agradável quanto antes.  

Na vida, tanto no dia a dia como nas relações, a presença do Tempero é vital. A vida destemperada, sem aqueles momentos especiais, sem aquele toque que lhe dá significado, é insípida. As crianças têm muita prática nisto, mas os adultos, às vezes esquecem de temperar os pequenos momentos da vida e, assim, eles não se tornam coisas grandes, são mera rotina. É tudo uma questão de carinho, de cuidado, de atenção. Escolha um Tempero simples e natural, aquele toque que lhe faz sentir bem só de estar presente, que lhe faz sentir feliz e sobretudo com uma enorme vontade de comer à colher. Uma semana feliz.



comentário(s) pelo facebook:

Sem comentários:

Enviar um comentário

Deixe a sua opinião! Obrigada :)